Muito possivelmente você já tenha ouvido alguém dizer que utilizamos apenas 10% do nosso potencial cerebral.

Mito. Isso só realmente aconteceria caso, em um AVC (acidente vascular cerebral) uma parte do cérebro fosse perdido sem que houvesse a possibilidade de recuperação.

Mas o que isso tem a dizer você já deve imaginar. Há um reconhecimento social de que a maioria das pessoas não utiliza, ao máximo, o seu potencial. Além disso, é como se os indivíduos tivessem a necessidade de sentir que só não são melhores porque já atingiram esse limite de 10%. Dessa forma, não há nada que possa ser feito para melhorar.

E é aqui que nasce a dúvida: O que posso fazer para maximizar o meu potencial?

Essa questão será respondida ao longo deste artigo, por meio de teorias e pensamentos que eu mesmo desenvolvi. Se eu pudesse ter um superpoder – independentemente de qual fosse – meu cérebro seria aproveitado em sua totalidade. Algo neste sentido pode ser visto no filme ‘Limitless’, ou melhor, “Sem Limites”.

Afinal, como não querer executar ideias e conceitos rapidamente? Quem negaria aprender, adotar novas habilidades e hábitos com tanta facilidade? É claro que, sendo isso possível, muitos seriam os questionamentos: “você é um super-humano?”.

Eu realmente gostaria de conduzir cada uma das atividades que me interesso com total clareza mental – de modo que meu desempenho e pensamento respondessem imediatamente.

Agora, sobre ser um super-humano digamos que eu esteja trabalhando com isso. É como se fosse a minha pequena ‘missão de vida’.

A verdade é que desde pequeno eu sou obcecado por ciência neural. Sempre gostei de ler sobre como intensificar a atividade cerebral, sobre os efeitos dos estímulos e sobre como hábitos alimentares poderiam alterar (abastecendo ou inibindo) a atividade dos neurônios.

Tais aspirações e projetos estão diretamente relacionados à maestria – é preciso acreditar na excelência. Então, o primeiro passo para continuar lendo você já sabe: ligue o botãozinho que acredita no seu potencial.

A seguir, você será apresentado a uma forma de otimizar o seu cérebro, de modo a torná-lo muito mais eficiente para aprender e dominar assuntos rapidamente.

A otimização do corpo e da mente

Faz pelo menos uns três que trabalho com a otimização do meu corpo e mente. Meu mentor neste assunto é Tim Ferris, autor das obras “The 4 Hour Work Week” e “The 4 Hour Body”.

Com esse tópico aprendi que o preço do trabalho duro é aprender a se concentrar. Seu preço é ceder à tentação de coisas que, no fundo, sabemos que não estão nos ajudando em nada.

Eu sinto a necessidade de adiantar que não, não precisei me afundar em toneladas de pesquisas para fazer essa afirmação. O que eu realmente fiz foi monitorar como o meu corpo se sente quando eu faço certas coisas.

O meu corpo é a minha métrica.

Vamos imaginar que, 10 minutos após comer algo, eu me sinta cansado. Agora, eu já sei que esse alimento prejudica a minha função cerebral. Porém, quando eu como algo e me sinto feliz ou animado em seguida, também devo levar em consideração.

O resultado de quem somos é a interação entre nosso corpo e cérebro. Tê-los caminhando harmoniosamente é a chave para o sucesso.

Grande parte da eficiência cerebral vem a partir do aprendizado de como se concentrar. Se formos muito resistentes a algo, dificilmente conseguiremos nos focar para terminar aquilo de uma vez. A resistência muitas vezes surge a partir de pensamentos negativos, como “eu não vou conseguir”, “eu não vou terminar isso nunca”, “isso é realmente muito difícil”.

Sendo assim, o primeiro passo para entrar no caminho do sucesso é remover qualquer potencial risco que venha a lhe atrapalhar no alcance dos objetivos.

Ter disciplina mental para permanecer neste caminho é tão importante quanto.

Mas afinal, como ter uma mente produtiva? Para tal, é preciso:

1. Concentração;
2. Eliminação de qualquer resistência que venha a atrapalhar o foco.

E para lhe auxiliar a manter o foco, eu lhe apresento neste artigo 3 métodos que ajudarão a manter a sua mente focada e inspirada durante dias, semanas, meses e para toda eternidade.

Vamos começar?

#1. Torne-se um mestre em ignorar distrações

Muitas são as ideias que estarão solicitando, constantemente, a atenção do seu cérebro. Saber ignorá-las exige extrema força de vontade e dedicação. Em um cenário deste – principalmente quando as distrações são intensas – é preciso saber ignorá-las ao máximo. Confira a seguir um exemplo.

Imagine que você tenha decidido entrar em uma dieta mais saudável, cortando carboidratos e, especialmente, açúcares do cotidiano. Você está no escritório e seu colega de trabalho coloca um cupcake ou uma pequena barra de chocolate em cima da mesa.

E agora, você deixa o doce lá ou o remove imediatamente dali?

Neste cenário, o que gostaríamos de destacar é a força de vontade para resistir ao desejo de comer o doce. Ter disciplina mental o suficiente para olhar algo que você quer e não consumir é saber ignorar as distrações alheias.

Sendo assim, você é quem decide: cria uma força de vontade mental sem interrupções ou come o doce e sabota os seus resultados. O que vai preferir?

#2.Torne-se um mestre de produtividade

Não saia do seu caminho à toa, ou seja, não vá tão longe unicamente para desligar as distrações caso elas possam ser facilmente removidas sem tanto esforço.

Pense na necessidade de manter o foco e tenha a consciência das coisas que poderiam lhe distrair. Planeje seu dia em torno disso e remova qualquer distração.

Elimine qualquer habilidade de “sintonizar” em distrações e mantenha o foco na atividade a ser realizada. A receita é simples e eu posso te garantir: extremamente eficaz.

#3. Torne-se um mestre na construção de hábitos

O último pedaço do quebra cabeça da concentração é: entre em modo de piloto automático, tornando-se um mestre na construção de hábitos. Quanto mais bem estruturados forem os hábitos criados, mais tempo você terá com o cérebro livre para pensar em novas ideias, conceitos e planos de dominação do mundo.

Quando fazemos algo constantemente, chegamos a um ponto em que tais tarefas são realizadas no piloto automático, ou seja, já não é preciso pensar muito para desenvolvê-las com plenitude.

Aristóteles uma vez disse a seguinte frase: “We are what we repeatedly do. Excellence, therefore is not an act, but a habit”. Sua tradução seria: “Nós somos aquilo que repetidamente fazemos. Excelência, portanto, não é um ato, mas sim, um hábito”.

Sendo assim, para focar seu cérebro de modo a se tornar um super-humano, é preciso realizar seus desejos e aspirações com consistência e muito trabalho. Quando este trabalho se tornar um hábito, você está no caminho certo.

Veja também como se tornar o CEO da sua vida.

Lembre-se que o estabelecimento de metas específicas e mensuráveis também é fundamental para que esse hábito seja construído – afinal, seu cérebro precisa saber onde está indo e onde deve chegar. É claro que esse trabalho exige tempo e dedicação, mas a recompensa você já deve imaginar: foco e concentração!

Não à toa, com o passar do tempo, você passa a aprender e a executar tarefas em um ritmo muito mais rápido – o que é resultado da clareza mental. Se prepare, vá em frente, e qualquer dúvida entre em contato comigo – estarei a sua disposição.

E se você quiser se especializar ainda mais neste e em outros assuntos relacionados, não hesite em assinar o conteúdo VIP para receber dicas sobre empreendedorismo em seu e-mail pessoal.

  • Luiz Dirceu

    Texto maravilhoso, principalmente a parte sobre se tornar um mestre em ignorar distrações, tenho que melhorar muito isso. Obrigado por compartilhar o conhecimento, gratidão!

  • Wanessa Nogueira

    Ótimo artigo! Aprendendo cada dia mais, rumo ao topo!