Renda Fixa é o tipo de investimento que possui uma remuneração ou um retorno de capital investido dimensionado no momento da aplicação.

Em outras palavras, o investidor sabe, desde o momento da compra de determinado ativo financeiro, quanto vai receber ao final do prazo, seja em valor nominal ([highlight]prefixado[/highlight]) ou pela variação de um índice (pós-fixado).

A principal diferença de aplicações em renda fixa para renda variável é que este não garante uma rentabilidade ou ganho de capital, podendo até perder dinheiro.

É o caso, por exemplo, da compra de ações. Se eu decidir comprar ações da Petrobras por R$ 25,00, não há nenhuma garantia que no dia seguinte essas ações valeriam R$ 26,00 ou qualquer outro valor. Por isso que essa é uma aplicação de risco.

Classificação das aplicações em Renda Fixa

Os investimentos de renda fixa são aplicações financeiras em títulos de renda fixa, que podem ser classificados segundo dois critérios:

  • quanto ao tipo de emissor do título, entre públicos (Governo) e privados(empresas);
  • quanto à rentabilidade do título, em prefixados e pós-fixados.

Rendimentos prefixados são aqueles cuja rentabilidade (nominal) o investidor conhece previamente, sendo a taxa de retorno da aplicação acertada previamente, no momento da aplicação.

No caso dos títulos públicos, um exemplo de rendimento prefixado é o retorno da Letra do Tesouro Nacional (LTN). Em 02/02/2012, a LTN 010115 garantia uma rentabilidade de 10,50% a.a. Nesse caso, quem comprou este título nesta data, receberia 10,50% ao ano durante o prazo do investimento.

Nas aplicações pós-fixadas ocorre o inverso, só se conhece o retorno (rentabilidade) da aplicação na data de vencimento e a rentabilidade varia de acordo com as oscilações dos índices utilizados para determiná-la.

Ainda referenciando títulos públicos, um bom exemplo é a Letra Financeira do Tesouro (LFT). O investidor, no momento da compra, sabe que a rentabilidade desse título será definida pela variação da taxa Selic.

Apesar de já saber, desde o momento da compra, o índice que determinará sua rentabilidade, o investidor só saberá quanto de fato ele ganhou na data de vencimento, após o cálculo da variação da taxa Selic, desde o dia da compra até o vencimento.

Fazer um investimento de renda fixa não significa que a rentabilidade não varie: há oscilações, às vezes mínima, quase imperceptíveis. Estas oscilações ocorrem em função das variações da cotação do título no mercado financeiro.

Tanto existem que, algumas vezes, um título público pode apresentar rentabilidade negativa. Expliquei detalhadamente essa situação no artigo ‘Títulos públicos com rentabilidade negativa‘.

Modalidades de investimento em Renda Fixa

Alguns exemplos são:

  • Caderneta de poupança
  • Títulos públicos
  • Certificado de Depósito Bancário (CDB)
  • Debêntures

Para saber mais sobre essas e outras modalidades existentes de renda fixa, leia este artigo do Wikipedia.

Escrito por Rafael Seabra

  • Nando

    Muito bom, nenhuma duvida mais sobre o assunto